quarta-feira, 27 de janeiro de 2010

Fratura no Pênis




Você talvez nunca tenha ouvido falar sobre ''fratura'' no pênis, ou, em alguns casos, ouviu mas achou que era lenda. Afinal, se o órgão sexual masculino não tem estrutura óssea, como isso poderia ocorrer? A ''fratura'' no pênis é rara, mas realmente pode acontecer.

É bom lembrar que o pênis é formado por três estruturas de forma cilíndrica. São dois corpos cavernosos que ficam na parte posterior do órgão sexual e são voltados para o abdômen e um corpo esponjoso, em posição oposta aos corpos cavernosos. Os corpos cavernosos são revestidos por um tecido semi-elástico chamado túnica albugínea.

A ''fratura'' do pênis ocorre quando o membro está em estado de ereção, geralmente durante o ato sexual mais intenso. Na maioria dos casos o acidente acontece quando a mulher está por cima do homem e o pênis sai do interior da vagina batendo contra o períneo ou contra a região óssea púbica. O pênis entorta até a pressão da câmara, isto é, os tecidos dos corpos cavernosos, explodirem como se fossem uma bexiga. Neste momento, geralmente ouve-se um pequeno estalo, há perda imediata da ereção. A dor é intensa. Verifica-se um hematoma e até a deformidade do pênis.

Quando isto ocorre é preciso procurar imediatamente atendimento médico. Depois da primeira avaliação, o médico pode recomendar exames como ressonância magnética ou uma ultra-sonografia para verificar a extensão da ruptura e se houve lesão na uretra. Dependendo da gravidade, é necessário uma intervenção cirúrgica. É importante que esta avaliação seja feita nas primeiras quarenta e oito horas após o acidente.

Ocorre que muitos homens têm medo ou vergonha de procurar um médico e isso pode trazer sérios transtornos para a continuidade da vida sexual da pessoa. Sem tratamento imediato pode haver a formação de uma cicatriz interna, que poderá provocar uma curvatura no pênis e, em alguns casos mais grave, até disfunção erétil. Depois do tratamento feito, o paciente pode retornar à atividade sexual dentro de aproximadamente 30 dias.

segunda-feira, 18 de janeiro de 2010

Bioplastia pode ser usada na área de estética íntima masculina

Conheça a técnica e acabe com informações falsas e imprecisas


Anúncios e propagandas sobre aumento peniano e engrossamento peniano são constantes na Internet. Excluindo-se todas as promessas falsas e informações imprecisas, o fato é existem médicos especializados, que atuam em clínicas específicas para este tipo de trabalho.

Um dos procedimentos que mais ganha adeptos é a técnica da bioplastia peniana, que pode resultar em aumento no comprimento e na espessura do pênis, um verdadeiro sonho para uma legião de homens. Insatisfação com o tamanho do pênis é algo muito comum entre os homens e, em muitos casos, esse descontentamento é tão grande que prejudica ou inibe a atuação sexual do indivíduo.

Tenho recebido pacientes de diferentes regiões do Brasil e até de outros países em busca de mais informações e o que percebo é que as dúvidas são várias. Então, vamos esclarecer alguns pontos.


A técnica

Ao contrário do muita gente imagina, a bioplastia peniana não é uma técnica cirúrgica. Ela é um procedimento estético não invasivo, cujos resultados, porém, têm impacto muito positivo sobre a saúde sexual dos pacientes.

Como não é uma técnica cirúrgica, há diferentes profissionais que prometem a realização da bioplastia. É importante, porém, procurar um médico, escolher uma clínica regulamentada, para que o procedimento seja realmente bem-sucedido. Registros de alguns casos mal-sucedidos criaram um grande mito em torno da bioplastia peniana.

Nosso alerta é: conheça a clínica e o médico responsável, até para se certificar que os produtos utilizados são aprovados pela ANVISA.


Resultados

A técnica da bioplastia vem sendo praticada no Brasil há muitos anos - sua aplicação em áreas como o rosto, glúteos, braços e mãos já é largamente conhecida. Com relação à bioplastia peniana, porém, ainda há poucos profissionais que realizam a técnica no Brasil. Em países da Europa, o número de profissionais já é alto e o procedimento é mais conhecido. No Brasil, vemos pela nossa experiência que os homens que nos procuram têm poucas informações e acreditam que se trata de uma cirurgia complexa, o que não é verdade.

A bioplastia peniana é um procedimento de consultório, com anestesia local, que não exige internação. O resultado é imediato e definitivo. Na região peniana, o preenchimento tem o efeito de mudar a anatomia do órgão sexual masculino, tornando-o mais volumoso e, com exercícios de fisioterapia associada, há ganho no comprimento também.

Como o procedimento é definitivo, existe a possibilidade de recorrer ao recurso da "simulação", com a chamada bioplastia temporária, na qual é aplicada uma substância reabsorvível, permitindo que o paciente conheça os resultados antes da bioplastia definitiva.

A bioplastia peniana é indicada para homens que já encerraram a fase de crescimento, e não há limite de idade: já atendemos pacientes com mais de 70 anos. Há sempre uma avaliação médica antes da realização de qualquer procedimento.


Discrição

A bioplastia peniana é pouco difundida porque os homens normalmente são muito discretos com relação aos cuidados médicos e estéticos. As mulheres normalmente fazem mais propaganda de si mesmas e dos serviços que procuram. A aplicação de silicone nos seios, por exemplo, está amplamente popularizada entre as mulheres - e elas dividem com as amigas a novidade. Os homens não falam de sua intimidade da mesma forma que as mulheres, por isso os procedimentos voltados a eles demoram muito mais para serem difundidos.


Para obter mais informações sobre o procedimento de Bioplastia Peniana, visite o site: www.aumentopenianodantas.com.br

quinta-feira, 14 de janeiro de 2010

Sexo Anal - Fantasia Masculina: Perguntas e Respostas


O sexo anal faz parte da fantasia de muitos homens. Já as mulheres se dividem em três grupos quando falam sobre esse tema: as que detestam e não fazem de jeito nenhum, as que fazem apenas para satisfazer o parceiro, e as que gostam - mas nem sempre assumem.

Muitas vezes, o que faz as mulheres fugirem dessa prática sexual é apenas o desconhecimento. "O sexo anal é, provavelmente, o maior tabu sexual existente na nossa sociedade. Há pessoas que simplesmente não aceitam", explica o sexólogo Celso Marzano, no livro O Prazer Secreto (ed. Éden). Confira as dúvidas mais comuns sobre o assunto e descubra como praticá-lo sem dor, sem culpa e sem riscos para a saúde.

1. Por que o sexo anal é uma das fantasias favoritas dos homens?
Primeiro, porque a negação da maioria das mulheres estimula o desejo sexual masculino. Além disso, o ânus é mais apertado que a vagina. Isso pode proporcionar uma sensação mais prazerosa ao homem.

2. Qual é a melhor posição para o sexo anal?
É sempre aquela em que os parceiros se sentem bem. Uma sugestão confortável é a posição colherzinha, de lado. Ou com a mulher por cima, controlando a penetração. A posição de quatro é a menos indicada: uma penetração profunda pode causar dor ou machucar a mulher.

3. O que eu faço se sangrar durante a penetração?
Isso não é comum, mas se a penetração for feita com pouca lubrificação, pode causar ferimentos na região. Nesse caso, interrompa a relação sexual imediatamente. Se o sangramento não parar, procure ajuda médica. Evite esse tipo de problema com bastante lubrificante.

4. Ele só quer sexo anal. É um problema?
A busca por formas diferentes de prazer sexual é natural. Mas fique atenta se seu parceiro só quer fazer sexo anal e quando você propõe outras variações ele fica ansioso. Pode ser um sinal de que ele tem um distúrbio chamado parafilia, que é a fixação em um só tipo de excitação sexual.

5. A dor no sexo anal costuma diminuir com o tempo?
A dor geralmente é provocada pela ansiedade ou pelo medo. Quase sempre ela aparece por falta de técnica adequada, pressa, pouca lubrificação e não-relaxamento do ânus. Com o tempo, a prática e a segurança nessa posição sexual, o incômodo tende a desaparecer.

6. É mais fácil pegar alguma doença pelo sexo anal?
Sim. E não só pegar, mas também transmitir doenças sexualmente transmissíveis (DST) para o parceiro. É mais fácil surgirem lesões no ânus e no pênis durante esse tipo de relação. Além disso, o intestino absorve os vírus com mais facilidade do que a vagina. Por isso, o uso da camisinha é indispensável.

7. Se eu tiver hemorroidas, devo evitar o sexo anal?
Não é necessário evitar, desde que você tome cuidado durante o ato sexual. Mas se as hemorroidas forem grandes ou estiverem inflamadas, é melhor optar por outra forma de prazer.

8. Dá pra ter orgasmo fazendo sexo anal?
Sim. O ânus não tem terminações nervosas específicas para aumentar a excitação até atingir o orgasmo. Mas, pela fantasia, pela masturbação e pela entrega de corpo e alma, você pode!

9. Pensar em sexo anal indica que meu parceiro é homossexual?
Não. O sexo anal é uma fantasia entre homens de qualquer orientação sexual. A homossexualidade consiste no desejo por pessoas do mesmo sexo. Nada a ver.

10. Em que casos não se deve fazer sexo anal?
Só para agradar o parceiro (sugira outra posição). Quando há hemorroidas inflamadas ou feridas no ânus. E, claro, quem não se sente à vontade.

11. Como obter prazer no sexo anal?
A região anal proporciona prazer porque é uma zona erógena. Mas como não tem lubrificação natural, algumas veias da entrada do ânus podem se romper com a penetração, provocando sangramento e dor. Para evitar isso, use um bom lubrificante, confie no parceiro e relaxe a musculatura na hora da penetração.

Fonte: MdeMulher.com.br