terça-feira, 31 de janeiro de 2017

Quase metade da população masculina da América tem Papiloma Vírus Humano (HPV), revelam novos dados.

Quase 50% dos homens dos EUA têm infecção pelo HPV, vírus que causa câncer do colo do útero, cabeça, pescoço, garganta, pênis e ânus, revelam números chocantes.

Mas apenas 10% dos homens têm buscado pela vacina de três doses para se proteger contra o vírus sexualmente transmitido.

O HPV, a infecção sexualmente transmissível mais comum nos Estados Unidos, elevou as taxas de vários tipos de câncer nos homens - incluindo cânceres de pênis, ânus, garganta, cabeça e pescoço.

Papiloma Vírus Humano (HPV)
Papiloma Vírus Humano (HPV)


O novo relatório, publicado na Oncologia JAMA, mostra que o HPV é menos comum entre os homens com idades entre 18 a 22 anos, afetando cerca de 29% deles.

Uma vez que atingiram 23 anos, no entanto, os diagnósticos disparam para 46,5%.

E ainda, enquanto todos os homens com menos de 26 anos são aconselhados a obter a vacina, apenas 10% dos homens abaixo de 27 anos se inscrevem para a vacinação.

Especialistas dizem que os números mostram uma necessidade de uma vacina de duas doses - em vez de três - para manter a infecção sexualmente transmissível sob controle e salvar milhões de homens de cânceres evitáveis.

O novo relatório JAMA, pelo Womack Army Medical Center na Carolina do Norte, é baseado em dados da National Health and Nutrition Examination Survey (NHANES) 2013-2014.

"A vacina contra o HPV não tem nada a ver com sexo. É tudo sobre a prevenção do câncer ", disse Electra Paskett, PhD e co-líder do Programa de Controle de Câncer no Ohio Comprehensive Cancer Center.

Paskett disse que é mais fácil conseguir que pais e crianças se vacinem com duas doses da vacina ao invés de três. Ele é um líder influente neste esforço nacional.

Em outubro, um painel do governo publicou um relatório que concluiu que os pré-adolescentes só precisam de duas doses da vacina contra o HPV, em vez de três.

O painel advertiu que os pais ocupados às vezes lutam para levar seus filhos ao médico três vezes dentro de seis meses para obter todas as doses.

Estudos recentes mostraram que duas doses da principal vacina HPV- Gardasil 9 - são suficientes e podem ser espaçadas em um ano.

Os programas masculinos de vacinação contra o HPV estão disponíveis para o público desde 2009 - embora no ano passado o CDC tornou obrigatório para meninos pré-adolescentes e não apenas para meninas.

Inicialmente, o HPV estava mais fortemente ligado ao câncer cervical.

No entanto, após um longo debate de um ano sobre o assunto, os cientistas concluíram que havia provas suficientemente fortes de que o vírus também causa câncer de cabeça, pescoço e garganta em homens.

Ao revelar as novas diretrizes no ano passado, o CDC dobrou a necessidade de vacinação generalizada, alegando que poderia salvar milhões de pessoas de cânceres evitáveis.

Inicialmente, o veredicto foi recebido com apreensão.

Uma pesquisa publicada pela Universidade da Carolina do Norte em Chapel Hill em agosto revelou que a maioria dos pais não apoiaria a vacina contra o HPV que está sendo administrada nas escolas - a menos que eles pudessem ficar de fora.

Menos de um em cada cinco pais (21%) concordou que as leis que exigem a vacinação contra o HPV para a entrada na escola eram uma "boa idéia", de acordo com a pesquisa.

O apoio aumentou para quase 60% se pudessem optar ficar de fora da vacinação.

Mas isso não significaria nenhuma garantia de imunização generalizada.

"Os requisitos de ingresso escolar são altamente aceitáveis ​​para os pais, mas apenas quando implementados de uma forma que os torna ineficazes", disse o autor sênior do estudo, Dr. Noel Brewer, da Universidade da Carolina do Norte.

A vacinação tem sido uma fonte de controvérsia durante anos, grupos conservadores alegaram que iria incentivar a promiscuidade entre os jovens.

Em 2006, quando a vacina foi criada pela primeira vez, Michele Bachmann liderou uma feroz campanha contra ela.

Incitando os senadores a bloquearem a aprovação da vacina, Bachmann, juntamente com Sarah Palin, Rick Santorum e outros republicanos de alto perfil, alegou que havia evidências que isto (vacina) leva a transtornos mentais.

Suas palavras vieram quando grupos conservadores advertiram que as crianças poderiam ser inspiradas a ter relações sexuais se soubessem que estavam sendo imunizadas contra uma DST.

Profissionais de saúde insistem que não há conexão lógica ligando o tratamento preventivo a taxas crescentes de relações sexuais.


Fonte: http://www.dailymail.co.uk/health/article-4137080/Almost-50-U-S-men-HPV-figures-reveal.html

quinta-feira, 26 de janeiro de 2017

Homem que nasceu Sem Pênis está prestes a implantar uma Genitália Biônica

Andrew Wardle, 44, de Stalybridge, Greater Manchester, nasceu com extrofia da bexiga (bexiga ectópica), um defeito de nascimento raro que atinge 1 em cada 20 milhões de pessoas, significa que o órgão, que normalmente fica dentro da pelve, é exposto.

Os médicos foram capazes de corrigir sua bexiga para que fosse capaz de passar a urina, mas ele nunca desenvolveu um pênis, embora tenha testículos.

Cirurgiões do University College de Londres usaram músculos, nervos e pele do braço de Andrew para construir um "apêndice" (pênis não funcional), este procedimento levou cerca de 4 anos para ser concluído. Agora eles têm que completar o procedimento para que ele seja funcional.

Reconstrução Genital (Faloplastia)

Andrew disse ao The Sun que o procedimento não é sobre ser capaz de ter relações sexuais, mesmo com sua namorada de longa data Fedra Fabian.

"Quando você nasce sem um pênis e não consegue fazer sexo, você simplesmente não se entusiasma com isso", disse ele.

"Muitas pessoas pensam que é sobre sexo, mas não é, é sobre relacionamentos e vida."

Embora ele tenha dito que nunca teve problemas para conseguir namoradas, ele disse que algumas têm sido mais compreensivas sobre sua situação do que outras.

No entanto, ele também disse que passou por "tempos sombrios" quando ele tomou drogas para esquecer "quem ele era". Mas isso só o levou a ficar mais deprimido e certa vez ele estava tão "para baixo" que tentou suicídio.

Como ele se preparou para se submeter a tratamento especializado que lhe dará um conjunto completo de genitais, ele mesmo estrelou em um documentário e apareceu em This Morning.

O filme, chamado The Man With No Penis, também contou com a Sra. Fabian e acompanhou o casal durante um ano.

Apesar da deficiência óbvia, o Sr. Wardle e a Sra. Fabian dizem que têm uma vida "inteiramente funcional" romântica e nunca estiveram mais felizes.

Andrew e sua namorada Fedra
Fedra Fabian e Andrew Wardle
"Minha primeira impressão sobre ele foi que ele tinha um humor incrível", diz Fabian de seu primeiro encontro com Wardle, que teve lugar em um acampamento de férias onde ambos estavam trabalhando.

- Ele sempre se certificava de que estávamos rindo. Ele era como um ímã.

Tendo ambos retornado para suas respectivas casas, Stoneybridge e Budapeste, o casal inicialmente tinha um relacionamento de longa distância e falava todos os dias no Skype.

Devido à distância, Wardle foi facilmente capaz de ocultar sua condição, mas quando Fabian declarou sua intenção de se mudar para o Reino Unido para estar com ele depois de cinco meses, ele tinha que ser honesto.

"Não pensei que ela viesse", explica. - Quem partiria de Budapeste para Stoneybridge? Eu não acho que ela faria isso. E então ela fez.

Para começar, o Sr. Wardle afirmou que tinha problemas renais em uma tentativa de evitar a intimidade, mas eventualmente confessou a condição.

"De certa forma, estou me dando uma chance", ele explica sua relutância em contar às namoradas sobre seus genitais ausentes. "Eu tenho que deixar as pessoas me conhecerem antes de deixar as pessoas saberem a condição."

Fonte: DailyMail


terça-feira, 24 de janeiro de 2017

Segurança Clínica e Eficácia da Injeção da Colagenase Clostridial Histolítica (Xiaflex)

Segurança Clínica e Eficácia da Injeção da Colagenase Clostridial Histolítica (Xiaflex) em Pacientes com Doença de Peyronie: Fase 3 estudo Open-Label.


Mais um bom trabalho sobre o uso do Xiaflex.


347 pacientes participaram do estudo. Eles receberam até 8 injeções de Xiaflex e foram seguidos por 36 semanas.

A curvatura média inicial era de 53º. Após 36 semanas de acompanhamento a curvatura média final foi de 34.7º, isto representa uma melhora de 18,3º (ou 34,4%) da curvatura peniana.


Sabemos que o efeito placebo (uso de soro fisiológico no lugar do Xiaflex) cria uma melhora de 18,2% da curvatura (Gelbard M, et al. J Urol. 2013 Jul;190(1):199-207). Desta forma se nós utilizar-mos o Xiaflex em um paciente com 45º de curvatura ele irá ter um resultado final de 29,5º de desvio (melhora de 34,4%). Se nós utilizar-mos soro fisiológico (placebo) no lugar do Xiaflex o resultado será de  36,8º de desvio (melhora de 18,3%). Para ajudar na visualização do resultado Xiaflex vs. Placebo veja a imagem abaixo:

Xiaflex Fase 3
Journal of Sexual Medicine. 2015;12: 248-258.

Como poder ser visto na figura, o uso do Xiaflex não parece ter feito uma diferença tão grande para o placebo. Embora exista forte evidência científica de que o Xiaflex funcione melhor do que o placebo, não parece que ele retifique de forma efetiva as curvaturas penianas, principalmente em casos mais graves (> 60º).

Temos de lembrar também que a medicação tem um custo elevado. Nos Estados Unidos cada dose custa em média $3.300,00 por aplicação. Isto quer dizer que em 8 aplicações o custo final do tratamento será de $ 26.400,00.


Ainda não temos a medicação liberada para uso no Brasil.

Autores: Laurence A. Levine,et all
Fonte: https://www.alexandremiranda.com.br/seguranca-clinica-e-eficacia-da-injecao-da-colagenase-clostridial-histolitica-xiaflex-em-pacientes-com-doenca-de-peyronie-fase-3-estudo-open-label/


Para mais informações sobre Curvatura Peniana e Doença de Peyronie visite nosso site: www.aumentopenianodantas.com.br

sexta-feira, 20 de janeiro de 2017

O que é um pênis escondido ou embutido?

Quando um homem tem um pênis escondido ou "embutido", o eixo de seu pênis está interiorizado ou escondido no interior da gordura da região pubiana. O pênis ainda tem o tamanho dentro do padrão natural, mas apenas uma pequena parte é visível. A condição é às vezes chamado de pênis embutido ou escondido. É uma condição diferente do micropênis.


Um pênis embutido pode ser congênito (presente no nascimento). Também pode acontecer na idade adulta, causada pela obesidade, envelhecimento e inflamação. Ganho de peso significativo pode tornar pior, haverá mais gordura na região pubiana, escondendo mais ainda o pênis.

Os homens que realizaram a cirurgia de bypass gástrico (cirurgia para perda de peso) podem achar que seu pênis se torna oculto pelo excesso de pele resultante do emagrecimento.


Linfedema genital, uma condição em que a quantidade excessiva de líquido linfático recolhe nos genitais, também pode levar a um pênis embutido. Algumas doenças podem levar a este quadro (linfangites crônicas ou agudas).


Pênis Escondido
Exemplo de pênis escondido / Imagem Internet


Um homem com um pênis embutido pode ter problemas para se apresentar sexualmente. Ereções podem ser dolorosas e a penetração vaginal pode não ser possível. Ele também pode se sentir constrangido com a situação.


Os sintomas urinários são comuns também. Porque o pênis não pode ser facilmente acessado, um homem pode precisar sentar-se para usar o banheiro.


Manter uma boa higiene é muitas vezes um problema para o homem com pênis escondido. A área é de difícil higiene, de manter limpa e seca, deixando-o propenso a infecções bacterianas e micóticas.


A perda de peso pode aliviar a condição até certo ponto. Mas em casos mais graves, a cirurgia para retirada do excesso de pele torna-se necessária.


Não se sabe quantos homens adultos têm um pênis embutido. Muitas vezes, os homens não mencionam a seus médicos, por vergonha, insegurança e constrangimento. No entanto, se você está preocupado com um pênis escondido, não se esqueça de falar com seu médico.


Fonte: http://www.issm.info/sexual-health-qa/what-is-a-hidden-buried-penis/




Os artigos aqui postados não necessariamente expressam a visão da equipe 





“As informações fornecidas neste blog destinam-se ao conhecimento geral e não devem ser um substituto para o profissional médico ou tratamento de condições médicas específicas. Procure sempre o aconselhamento do seu médico ou outro prestador de cuidados de saúde qualificado com qualquer dúvida que possa ter a respeito de sua condição médica. As informações contidas aqui não se destinam a diagnosticar, tratar, curar ou prevenir qualquer doença. Nunca desconsidere o conselho médico ou demore na procura por causa de algo que tenha lido em nosso blog, site e mídias sociais da Clínica Dantas.”

Estudo Relaciona a Deficiência de Vitamina D à Disfunção Erétil

Pesquisadores dos Estados Unidos descobriram uma possível conexão entre deficiência de vitamina D e disfunção erétil (DE).

Fórmula estrutural plana da Vitamina D2 (Calciferol)
Fórmula estrutural plana da Vitamina D2 (Calciferol)

A vitamina D é importante para manter os ossos e dentes saudáveis. Ele também ajuda os pulmões e o coração.


Fatores de risco para deficiência de vitamina D e DE não foram amplamente pesquisados. No entanto, as duas condições compartilham fatores de risco com doença cardiovascular aterosclerótica (doença cardíaca marcada pela aterosclerose - endurecimento das artérias), como pressão arterial elevada, diabetes, inflamação e problemas com o endotélio - o tecido que alinha os vasos sanguíneos.


Este estudo envolveu 3.390 homens que participaram da Pesquisa Nacional de Saúde e Nutrição (NHANES) entre 2001 e 2004, os únicos anos para os quais estavam disponíveis dados sobre os níveis de DE e vitamina D. Os homens tinham entre 20 e 85 anos de idade. Nenhum deles tinha doença cardiovascular aterosclerótica e nenhum tomou medicação para DE.


Os homens foram considerados com deficiência de vitamina D se os seus níveis estavam abaixo de 20 ng/mL. A disfunção erétil foi determinada pelas respostas dos homens no questionário NHANES.


Após analisar os dados, os pesquisadores determinaram que as taxas de prevalência de deficiência de vitamina D eram de 36% para homens com DE e de 29% para homens sem DE.


Os homens com DE eram mais propensos a ser mais velhos, em saúde geral mais fraca e menos ativos em comparação com homens sem DE. Eles também eram mais propensos a ter diabetes, pressão alta e colesterol alto.


A conexão entre a DE ea deficiência de vitamina D pode ser explicada de várias maneiras, escreveram os autores. Por exemplo, o diabetes pode levar a problemas com o endotélio ea aterosclerose. Ambas as condições podem prejudicar o fluxo sanguíneo para o pênis, levando a erecções pobres.


A vitamina D também ajuda com a produção de óxido nítrico, um composto que permite que o tecido do músculo liso no pénis para relaxar para que uma ereção pode formar. Baixos níveis de vitamina D podem interferir com este processo.


Principais fontes de Vitamina D
Principais fontes de Vitamina D

É possível que a suplementação de vitamina D pode ajudar os homens com DE. Trazer os níveis de volta ao normal poderia resolver problemas endoteliais e reduzir a inflamação em homens que são deficientes. No entanto, mais pesquisas são necessárias antes desta abordagem pode ser recomendada, observaram os autores.

O estudo foi publicado pela primeira vez online em julho na revista Atherosclerosis.






Farag, Youssef MK, et ai.
"A deficiência de vitamina D é associada independentemente com maior prevalência de disfunção erétil: A Pesquisa Nacional de Saúde e Nutrição Exame (NHANES) 2001-2004"
(Texto integral, publicado on-line: 29 de julho de 2016)


Ware, Megan, RDN LD
"Vitamina D: Benefícios para a Saúde, Fatos e Pesquisa"
(Última atualização: 7 de abril de 2016)
Http://www.medicalnewstoday.com/articles/161618.php


Charnow, Jody
"Disfunção Eréctil Ligada à Deficiência de Vitamina D"
(11 de agosto de 2016)
Http://www.renalandurologynews.com/erectile-dysfunction-ed/erectile-dysfunction-linked-to-vitamin-d-deficiency/article/515417/


Os artigos aqui postados não necessariamente expressam a visão da equipe 




“As informações fornecidas neste blog destinam-se ao conhecimento geral e não devem ser um substituto para o profissional médico ou tratamento de condições médicas específicas. Procure sempre o aconselhamento do seu médico ou outro prestador de cuidados de saúde qualificado com qualquer dúvida que possa ter a respeito de sua condição médica. As informações contidas aqui não se destinam a diagnosticar, tratar, curar ou prevenir qualquer doença. Nunca desconsidere o conselho médico ou demore na procura por causa de algo que tenha lido em nosso blog, site e mídias sociais da Clínica Dantas.”

segunda-feira, 16 de janeiro de 2017

Quando um homem deve considerar um implante/prótese peniana?

Um implante peniano, às vezes chamado de prótese peniana, é um dispositivo que permite que os homens com disfunção erétil (DE) alcancem uma ereção adequada para a relação sexual. Enquanto as próteses geralmente têm altos índices de satisfação entre os homens e suas parceiras, realizar um implante peniano é uma grande decisão.

Ao contrário de outros tratamentos para DE, implantes requerem cirurgia. Os corpos cavernosos que normalmente se enchem com sangue durante uma ereção são removidos e substituídos por dois cilindros que podem ser inflados ou desinflados para uma ereção conforme necessário. (Às vezes, barras maleáveis ​​são usadas em vez disso. Clique aqui para saber mais sobre os tipos de implantes.)

É importante saber que os implantes penianos são permanentes. O procedimento não pode ser revertido.

Realizar um implante peniano é geralmente considerado um último recurso quando se trata de DE. Os homens devem tentar terapias não-cirúrgicas, tais como medicamentos orais, auto-injeções e dispositivos de ereção vácuo em primeiro lugar.

Infelizmente, estes tratamentos não são eficazes ou apropriados para todos os homens.

Por exemplo, os homens que tomam medicamentos que contêm nitratos não podem tomar pílulas para DE. Os homens também podem ser incapazes de realizar auto-injecções.

A boa notícia é que os implantes penianos têm altas taxas de sucesso global. Muitos homens acham que a sensação sexual, o orgasmo e a ejaculação ocorrem exatamente como antes do implante.

Homens que estão considerando um implante devem discutir sua decisão com seu médico e sua parceira. Embora os implantes funcionem bem para a maioria dos homens, existem algumas desvantagens, como o risco de infecção ou mau funcionamento. Em alguns casos, o pênis pode ficar mais curto após a cirurgia, mas isso nem sempre é perceptível. Conhecer os prós e os contras pode ajudar os homens a ter expectativas realistas.


Fonte: http://www.issm.info/sexual-health-qa/when-should-a-man-consider-a-prosthesis/


Você pode ler mais a respeito de Próteses Penianas, Implantes Penianos ou Disfunção Erétil em nosso site:

domingo, 15 de janeiro de 2017

Sinais ou Sintomas de Problemas no Pênis

Saúde Genital Masculina
Consulte o seu médico o mais rapidamente possível se tiver:
  • Alterações na maneira como você ejacula;
  • Sangramento durante a micção ou ejaculação;
  • Verrugas, lesões ou uma erupção no pênis ou na área genital;
  • Um pênis severamente dobrado ou curvo que causa dor ou interfere na atividade sexual;
  • Uma sensação de ardor ao urinar;
  • Vermelhidão no pênis;
  • Dor severa após trauma em seu pênis;
  • Aumentos abruptos no desejo sexual, particularmente em homens mais velhos;
  • Redução significativa do desejo sexual.


O que posso fazer para manter o meu pênis saudável?


Você pode tomar medidas para proteger a saúde do pênis e saúde geral. Por exemplo:

  • Seja sexualmente responsável. Use preservativos ou manter uma relação mutuamente monogâmica com um parceiro que foi testado e está livre de infecções sexualmente transmissíveis.
  • Vacine-se. Se você tem 26 anos ou menos, considere a vacina contra o papilomavírus humano (HPV) para ajudar a prevenir as verrugas genitais.
  • Seja fisicamente ativo. A atividade física moderada pode reduzir significativamente o risco de disfunção erétil.
  • Pratique uma boa higiene. Se você não está circuncidado, limpe regularmente sob seu prepúcio com sabão e água. Certifique-se de retornar seu prepúcio para sua posição normal após o sexo.
  • Conheça seus medicamentos. Discutir o uso de medicação e possíveis efeitos colaterais com o seu médico.
  • Preste atenção à sua saúde mental. Procure tratamento para depressão e outras condições de saúde mental.
  • Pare de fumar e limite a quantidade de álcool que você bebe. Se você fuma, dê o primeiro passo e decida parar de fumar - então peça ajuda ao seu médico. O excesso de álcool pode baixar os níveis de testosterona. Os especialistas recomendam que os homens não têm mais de duas bebidas por dia.
  • Faça escolhas saudáveis. Manter um peso saudável, pode ajudar a reduzir o risco de desenvolver colesterol anormal, pressão alta e diabetes tipo 2. Um estilo de vida saudável também pode ajudar a prevenir a disfunção erétil.


Nem todos os problemas do pênis podem ser evitados. No entanto, rotineiramente examinar o seu pênis pode dar-lhe uma maior consciência da condição do seu pênis e ajudá-lo a detectar alterações. Checkups regulares também podem ajudar a garantir que os problemas que afetam o seu pênis sejam diagnosticados o mais rapidamente possível.

Embora você possa achar difícil discutir problemas que afetam seu pênis com seu médico, não deixe que o constrangimento o impeça de tomar conta de sua saúde.


Fonte: Mayo Clinic


Para ler mais a respeito deste assunto e dos tratamentos oferecidos pela Clínica Dantas, clique nos links abaixo:

quinta-feira, 12 de janeiro de 2017

Báculo: O Osso do Pênis

Alguns báculos (osso peniano) / Museum of Toulouse
O báculo é um osso extraesquelético e ajudou os primatas a vencer no jogo do acasalamento


Por que os humanos perderam o osso do pênis?


Um dos produtos mais estranhos e maravilhosos da evolução é o osso do pênis, o báculo. O báculo é um osso extraesquelético, o que significa que não está conectado com o resto do esqueleto, mas que flutua airosamente no final do pênis. Dependendo do animal, seu tamanho varia de menos de um milímetro até quase um metro, e sua forma varia de um espinho semelhante a uma agulha a um dente parecido com o de um garfo.


O báculo da morsa, que poderia facilmente ser confundido com um garrote de 60 centímetros, mede aproximadamente um sexto da longitude do corpo do animal, enquanto que o diminuto osso do pênis do lémure-de-cauda-anelada, de alguns centímetros de comprimento, representa somente quarenta avos da longitude de seu corpo.


Os báculos são encontrados em determinadas espécies de mamíferos. A maioria dos primatas macho o têm, de modo que nós, humanos, estamos mais para uma raridade, já que carecemos dele. Em um punhado de circunstâncias extraordinárias há machos da espécie humana que desenvolveram um osso no tecido macio da extremidade do pênis, mas se trata de uma anomalia pouco frequente, e não de um báculo.


No novo estudo, publicado na Proceedings of the Royal Society B., o colega Kit Opie e o autor pesquisaram como se desenvolveu o báculo nos mamíferos, analisando sua distribuição entre as diferentes espécies em função do padrão de herança (conhecido como filogenética).


Demonstramos que o osso só se desenvolveu depois da divisão dos mamíferos em placentários e não placentários, há uns 145 milhões de anos, mas antes que aparecesse o ancestral comum mais recente dos primatas e dos carnívoros, há cerca de 95 milhões de anos. Nossa pesquisa mostra também que esse ancestral comum tinha báculo. Isso significa que qualquer espécie dentro desses grupos que não o possua, como a humana, deve tê-lo perdido no curso da evolução.


Em primeiro lugar, vejamos por que diabos um animal iria precisar de ter um osso no pênis. Os cientistas elaboraram várias teorias sobre a possível utilidade do báculo. Em determinadas espécies, como a dos gatos, o corpo da fêmea não expulsa os óvulos enquanto não houver o acasalamento, e alguns pesquisadores sustentam que o osso do pênis pode ajudar a estimular as fêmeas e desencadear a ovulação. Outra teoria, com um nome ligeiramente picante, é a hipótese da fricção vaginal. Basicamente diz que o báculo atua como uma calçadeira que permite ao macho vencer a fricção e deslizar dentro da fêmea.


Por fim, surgiu a ideia de que o osso do pênis ajude a prolongar a “intromissão”, também conhecida como penetração vaginal. Longe de ser tão somente uma boa forma de passar a tarde, esta maneira de fazer com que a intromissão dure mais serve ao macho para evitar que a fêmea escape e se acasale com outro antes de o esperma ter tido ocasião de realizar sua mágica. Esta teoria dá um significado totalmente novo à expressão “obstruir a entrada”.


Nós descobrimos que, no curso da evolução dos primatas, o fato de ter báculo sempre teve relação com uma duração maior da penetração (algo assim como mais de três minutos). Além disso, os machos das espécies de primatas em que a intromissão dura mais costumam ter o osso do pênis bem mais comprido do que os das espécies com intromissões breves.


Outra descoberta interessante foi que os machos das espécies que enfrentam níveis elevados de competição sexual pelas fêmeas têm báculos mais compridos que os que enfrentam níveis mais baixos.


Mas, o que acontece com os humanos? Se o osso do pênis é tão importante para competir por uma parceira e prolongar a cópula, por que não o temos? Pois, bem, em poucas palavras, a resposta é que nós, seres humanos, não pertencemos de todo à categoria da “intromissão prolongada”. Para os machos humanos, a duração média entre a penetração e a ejaculação é de menos de dois minutos.


No entanto, os bonobos só passam cerca de 15 segundos copulando a cada vez e, mesmo assim, têm báculo, embora seja muito pequeno (uns oito milímetros). Então, o que faz com que sejamos diferentes? Pode ter a ver com nossas estratégias de acasalamento. Entre os machos humanos (de modo geral) a competição sexual é mínima, já que o comum é que as fêmeas se acasalem com um só macho num mesmo período. Talvez a adoção deste padrão de acasalamento, unido à brevidade de nossa penetração, tenha sido a sentença de morte para o báculo.


Os cientistas estão apenas começando a decifrar a função deste osso tão insólito. O que parece claro é que as mudanças no báculo dos primatas são consequência, pelo menos em parte, das estratégias de acasalamento da espécie. A imagem que parece emergir é que, quando os níveis de competição sexual são elevados, no que diz respeito ao osso do pênis, quanto maior, melhor.

Fonte: El País

quarta-feira, 11 de janeiro de 2017

Homem morre após sofrer ereção prolongada com genérico do Viagra

viagra genérico - imagem ilustrativa
Imagem ilustrativa
Um homem morreu após sofrer uma superereção graças a uma overdose de um genérico do Viagra, na Nigéria. A droga conhecida como “Manpower” é vendida no mercado negro.

O pai de três filhos foi identificado apenas como Samson e foi encontrado morto em um quarto de hotel depois de uma noite quente com ao lado da amante. De acordo com ela, o rapaz teria tomado o medicamento para impressioná-la.

A vítima teria tomado uma dose maior do que a recomendada para prolongar o sexo e não conseguiu se livrar da ereção mesmo horas após o início da transa, segundo o site Punch.

Um policial que participa da investigação confirmou os eventos ao portal e salientou que a família do homem ainda não havia decidido se abriria um processo contra a fabricante da droga.

Já a amante disse que Samson deve ter morrido devido ao estresse causado pela ereção prolongada. A polícia investiga o caso.

Com informações do The Mirror.



O uso de estimulantes sexuais sem orientação médica já foi discutida aqui antes, infelizmente algumas pessoas acabam se informando por meios errados e obtendo resultados drásticos.

Em caso de problemas de ereção consulte um especialista no assunto.

Veja as matérias onde abordamos este assunto: